10 coisas que você (talvez) não sabia sobre dirigíveis

Eles não se veem com muita frequência agora, mas por anos eu aeronave eram meios de transporte de última geração que revolucionaram a experiência de vôo da época. Mas o que exatamente é uma aeronave? Vamos descobrir através de 10 curiosidades muito interessantes.

1 – Qual a diferença entre um balão (balão de ar quente) e um dirigível? Bem, é fácil: os dois voam porque são mais leves que o ar, mas o balão se move com o vento enquanto a aeronave possui um sistema de propulsão que permite que ele se mova livremente.

2 – Os pioneiros da aviação eles tentaram manobrar os balões em vôo com … remos! Até que, em 1852, os franceses Henri Giffard ele construiu um balão em forma de charuto (em vez de esférico), equipou-o com um navio de passageiros (chamado de “gôndola”) e uma máquina a vapor – o dirigível nasceu.

3 – Os balões pode ser inflado com ar quente (como balões de ar quente) enquanto aeronaves, em suas caixas rígidas ou semirrígidas (ou seja, de retenção de forma), são preenchidas com gases mais leves que o ar. Isso costumava apresentar algum risco, pois o gás era hidrogênio superinflamável.

4 – Você conhece Ferdinand von Zeppelin? Foi ele, em 1900, quem inventou o dirigível moderno. Consistia em uma moldura de alumínio coberta com lona que, dentro, continha um grande número de balões cheios de gás. A cabine de controle e a gôndola de passageiros foram fixadas do lado de fora.

5 – Os zepelins são os mais famosos de todos os dirigíveis.Eram aeronaves enormes que, nas décadas de 1920 e 1930, ligavam regularmente a Alemanha aos Estados Unidos (em menos de cinco dias) e até ao Brasil. Eram verdadeiros gigantes dos céus atingindo 250 metros de comprimento: quase como o Titanic!

6 – A fortuna do Zeppelin terminou em 1937 com o incêndio do dirigível Hindenburg desembarque em Lakehurst (New Jersey, EUA). Nos projetos, deveria ter sido inflado com hélio (que não queima), em vez de hidrogênio, devido ao bloqueio da venda de produtos americanos para a Alemanha nazista. O desastre foi transmitido no noticiário e ninguém queria mais voar em um Zeppelin – a era dos aviões acabou.

7 – As aeronaves também eram utilizadas como veículos militares gigantescos. O USS Akron, por exemplo, construído em 1931 para a Marinha dos Estados Unidos, era equipado com um hangar interno do qual podiam ser destacados cinco pequenos biplanos: era um verdadeiro porta-aviões voador! No entanto, ele permaneceu em serviço apenas até 1933, quando caiu no Atlântico.

8 – Os dirigíveis eram essenciais no Ártico: o italiano Norge (Noruega), projetado e pilotado pelo engenheiro Umberto Nobile, sobrevoou o Pólo Norte pela primeira vez em 1926. A tripulação também incluía Roald Amundsen, que conquistou o Pólo Sul a pé em 1911.

9 – Em 1928, dois anos após o compromisso com o Norge, Nobile fez uma nova expedição com o dirigível Italia, novamente para fins científicos. A volta, porém, terminou em tragédia: devido ao mau tempo a nave caiu ao solo, deixando 10 homens e Titina no gelo. Imediatamente depois, a aeronave recuperou altitude e os seis homens restantes nunca foram encontrados.

10 – Se você acha que as aeronaves desapareceram como os dinossauros se engana. Os modernos podem ser usados ​​para transportar mercadorias para áreas que não podem ser alcançadas por via terrestre. O mini dirigível francês Stratobus ainda funciona com energia solar. Tem cerca de cem metros de comprimento e pode voar cinco anos, a cerca de 20 mil metros acima do nível do mar, em missões de vigilância ou telecomunicações.

Deixe um comentário