Quando nasceu a publicidade?

Onde quer que vamos, por anos, nos encontramos cercados por Intervalo comercial. Na rua, nas paredes e nos outdoors, na televisão, na web, nos escritórios, nos bares, nos restaurantes … Às vezes até nos filmes e nas séries de televisão, embora possamos não perceber. Em suma, a publicidade está em toda parte hoje, e há um ditado que diz que “a publicidade é a força vital do comércio”. Pois é, é isso: dou-lhe um espaço para publicitar a sua empresa, a sua marca, e em troca me paga e assim me ajuda a seguir em frente com a minha empresa. É assim que funciona em todos os campos. Pense sobre o assim chamado “Patrocinador” de times de futebol, basquete, ciclismo, vôlei: nas camisas há nomes e símbolos de empresas, que pagou a esta equipa para os anunciar e assim financiou os clubes desportivos.

Hoje, para todos nós, a publicidade é um fato cotidiano, tão presente e constante em nossas vidas que nem nos perguntamos mais por que e desde quando ela existe. Aqui, na verdade, vamos nos perguntar agora: quando nasceu a publicidade?

O QUE É PUBLICIDADE?

O termo publicidade deriva do francês publicité, que por sua vez vem de público, que significa “público”. Como explica a Enciclopédia Treccani, publicidade significa “divulgação, difusão ao público. Em particular, o conjunto de todos os meios e métodos usados ​​para Informar a existência e dar a conhecer as características dos produtos., serviços, ações de natureza diversa através do desenvolvimento de mensagens consideradas mais adequadas ao tipo de mercado a que se dirigem ”.

No nosso caso, trata-se de publicidade comercial, ou seja, “qualquer forma de comunicação -explica Treccan- destinada a promover a venda de bens ou a prestação de serviços por parte de um operador económico”.

Existe muitas formas de publicidade, não apenas de natureza comercial: por exemplo, existem anúncios para interesse social, com informações úteis para todos os cidadãos, ou mesmo de caráter político e religioso, em que o objetivo é obter “adesão a um sistema ideológico – segundo Treccani – (propaganda política e religiosa)”. Mas a publicidade sempre foi como a conhecemos hoje?

JÁ EXISTIU NA ANTIGUIDADE

Muitos séculos atrás, a publicidade não era como a entendemos hoje. Sua função era principalmente de informação para divulgar a existência de um produto. Porém, já nos tempos antigos Havia uma forma de publicidade parecida com a nossa, que, porém, como a mídia não existia hoje, se limitava ao local onde era feita ou um pouco mais.

Por exemplo, em Pompéia e Ostia, em algumas paredes, eles foram encontrados escritos convidando os cidadãos a votar nesse candidato em eleições políticas. Também em Pompéia, cartazes foram encontrados do lado de fora de uma loja de tecidos elogiando a qualidade do trabalho da loja. Desse tipo de publicidade, cujo principal veículo é o boca a boca entre as pessoas, há exemplos nas principais civilizações antigas. Em Tebas, uma pintura datada de cerca de 1000 aC foi descoberta na qual era oferecida uma pepita de ouro a qualquer um que tivesse capturado um escravo fugitivo. Mas, como já dissemos, não havia jornais, nem televisão, nem Internet, nem imprensa.

COM A INVENÇÃO DA IMPRENSA, PROPAGANDA DE SPREADS

Em 1455 Johannes Gutenberg inventou o impressão de tipo móvel. A partir desse momento, qualquer texto pode ser replicado e copiado mecanicamente. Pouco tempo depois, na Inglaterra, exatamente em 1479, o impressora (uma nova profissão, nascida com a invenção da imprensa escrita) William Caxton impresso em muitas cópias um livreto no qual anunciou suas postagens. Começaram a circular os primeiros folhetos, um pouco como os que encontramos hoje em supermercados e lojas e, muitas vezes, na nossa caixa de correio.

Anúncios apareceram nos jornais: o primeiro remonta a 1525 em um jornal alemão. Em 1630, na França, nasceu o primeiro escritório e o primeiro diário a publicar anúncios pagos, iniciativa imitada em 1650 na Inglaterra com o Mercurius politicus. O primeiro jornal totalmente dedicado à publicidade comercial foi fundada em meados do século 18 na França: era chamada Le petit affiche.

PUBLICIDADE MODERNA, DA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL À INTERNET

Teremos que esperar até a segunda metade do século XVIII para começar a ver que a publicidade ultrapassa as fronteiras dos países de origem e se torna um fenômeno generalizado em todo o mundo. Isso aconteceu graças ao Revolução Industrial, por meio de cujas invenções tecnológicas foi alcançada uma ampla e generalizada difusão de mensagens comerciais. De vez em quando, com alguns anos de diferença, foram criados meios tecnológicos que deram cada vez mais ferramentas para desenvolver a publicidade: a partir de impressão colorida para fotografia, anúncios e anúncios constantes em jornais e revistas serviços postais modernos e letreiros luminosos. A publicidade comercial e económica nos jornais tornou-se muito numerosa e estrearam-se cartazes e outdoors, muitas vezes feitos por grandes artistas, como Toulouse-Lautrec e, posteriormente, De Chirico e outros.

Em 1904 eu Irmãos Lumière, inventores do cinema, exibiram, antes do curta-metragem, um anúncio de champanhe francês. Em 1925 foi publicado o primeiro tratado de técnica publicitária, que explica as cinco etapas básicas de uma mensagem publicitária: ela deve ser vista, lida, acreditada, lembrada e deve persuadir o consumidor a comprar determinado produto.

Em 1928 o primeiro anúncios de rádio, enquanto em 1953, nos Estados Unidos, a publicidade chegou à televisão recém-nascida, como aconteceu na Itália quatro anos depois, com Carrossel, uma série de esquetes engraçados com fundo comercial de poucos minutos, uma espécie de show substituído no final dos anos 70 pelos comerciais que conhecemos hoje. Finalmente, nos últimos anos, o poder da publicidade tornou-se incrível com o uso da Internet e das mídias sociais.

Deixe um comentário