Notícias falsas: especialistas assinam um documento para combatê-los

Nos últimos anos, o termo notícias falsas (em italiano notícias falsas ou boatos) tornou-se parte de nosso vocabulário diário. Há poucos dias, em Roma, foi realizada uma conferência contra a disseminação do engano.

UMA CONFERÊNCIA CONTRA FALSAS NOTÍCIAS
“Efeitos da desinformação, dos conflitos à vida quotidiana”, que decorreu na sede da Adnkronos Roma na Piazza Mastai, 9. O evento foi organizado pela UniPace Roma – Nações Unidas, em associação com a Web Press Media Reporter Association e o patrocínio do Wrep, o Registro Europeu de Repórteres da Web. No centro do debate está a luta contra a disseminação de notícias falsas, mal verificadas ou manipuladas, uma das ferramentas mais importantes para criar um futuro mais justo e brilhante. Os palestrantes presentes, no final da discussão, reuniram-se em torno de um documento programático que mais tarde se tornou um verdadeiro manifesto, que também pode continuar a ser inscrito no Change.org. Massas campanhas de desinformação sobre a origem do Covid-19, que envolveram não apenas a opinião pública, mas têm permitido que alguns países, por meio de notícias falsas ou nipoladas, implementem políticas estratégicas nas relações internacionais. (Fonte: Adnkronos)

COMO SEI SE AS INFORMAÇÕES SÃO VERDADEIRAS OU FALSAS?

Para começar, a primeira pergunta a se fazer é: de onde vem essa notícia É mais, Como se difunde, é reportado em forma de imagem, texto ou som? E então, fundamentalmente, deve ser uma notícia de interesse público e baseada em fatos reais e verificáveis.

O QUE DEVO VERIFICAR?

A primeira coisa a fazer é descobrir o que Fonte de informação: Vem diretamente de pessoas interessadas? Existem testemunhas diretas ou especialistas disseram isso? Quanto mais fontes confiáveis ​​relatarem, mais provável é que as informações sejam verdadeiras. E quem é o autor da notícia? Onde foi publicado? É um site confiável ou desconhecido?

CUIDADO COM O ERRO!

Pode acontecer que um jornalista ou especialista se engane e então é sempre melhor verificar se esta notícia é veiculada por outros sites ou jornais e se confirmam a sua autenticidade. Quanto mais falamos sobre isso em jornais e sites autorizados, menos provável que sejam notícias falsas.. Outro cuidado a ter em conta é a data a que se referem as informações, se forem muito antigas não são fiáveis.

FOTOS E VÍDEOS FALSOS RECEBERAM MAIS COMO

Até mesmo uma foto ou vídeo pode ser falsificado. Portanto, também neste caso é sempre bom perguntar quem é o autor da imagem e quando ela foi tirada. Uma imagem, vídeo ou notícia compartilhada nas redes sociais não significa que seja sempre verdade pesquisadores do Universidade de Nova York eUniversidade de Grenoble Alpes analisaram postagens em 2.500 páginas do Facebook entre agosto de 2020 e janeiro de 2021. Eles descobriram que postagens de notícias falsas receberam seis vezes mais curtidas, ações e interações relacionadas a postagens feitas por fontes autorizadas de sites de notícias.

NOTÍCIAS FALSAS PARA O INTERESSE DE ALGUÉM

Existem algumas pessoas que deliberadamente divulgam informações falsas para seus próprios interesses, por exemplo, na política. Muitas notícias falsas interferiram nas eleições de países como Reino Unido, Estados Unidos e França.

Na prática, a notícia tem boas chances de ser verdadeira quando a fonte é verificável, tem data, o nome de quem a escreveu e se é publicada em sites ou jornais autorizados.

Deixe um comentário