Como são feitas as leis na Itália?

Você já imaginou como o mundo seria se não houvesse regras? Tente pensar se não houvesse semáforo no cruzamento ou se todos pudessem fazer o que quisessem, quando quisessem – seria o caos total. Existem leis para isso.

Para evitar esta confusão na verdade, desde os tempos antigos, foi tentado estabelecer regras que garantisse o funcionamento pacífico da sociedade. Na Itália, as leis fundamental estão escritos na Constituição que estabelece i direitos e deveres dos cidadãos e determina os princípios de funcionamento do Estado. A necessidade de leis, porém, não se esgota no texto constitucional e no Parlamento reúne-se diariamente para fazer novos ou cancelar antigos. Você sabe como esse processo é realizado? Vamos tentar esclarecer …

QUAL É O PODER LEGISLATIVO?

O poder Legislativo É um dos três poderes fundamentais do estado e Consiste no poder do Parlamento de fazer leis.. Os outros dois são o executivo, quem está encarregado de fazer cumprir os regulamentos, e quem judicial que, em vez disso, tem a tarefa de aplicá-los. O poder legislativo pertence à Câmara dos Deputados e ao Senado, cujas duas atribuições Parlamento.

COMO É PROPOSTA UMA LEI?

O leitura que todos nós devemos respeitar eles têm um longo caminho a percorrer antes de fazerem efeito. Em primeiro lugar, um parlamentar, um membro da Câmara dos Deputados ou do Senado, ou o governo com um de seus representantes deve apresentar ao presidente de uma das duas câmaras um proposta de conta. Baixo mesmo cidadãos individuais eles podem propor isso, mas para ter sucesso, eles devem reunir pelo menos o assinaturas de 50 mil eleitores.

Antes de ser discutido em uma das duas câmaras, o texto deve ser analisado pela comissão responsável. Por exemplo: se for proposta uma lei que queira alterar a jornada de trabalho de seus pais, antes de os senadores e deputados se pronunciarem, o texto deve ser examinado pelo Comissão de trabalho.

COMO AS LEIS ENTRAM EM VIGOR NA ITÁLIA?

Se o projeto, depois de uma fase de discussão e modificação, for aprovado pela Câmara dos Deputados, vai para o Senado (também pode acontecer ao contrário, não importa a ordem). Senadores podem decidir modificar a proposta mas nesse caso a lei volta aos deputados, até as duas câmaras aprove o mesmo texto.

Neste ponto “a bola” passa para o Presidente da República que pode decidir ou para o decretar (tornar a lei efetiva) ou devolvê-la à discussão na Câmara e no Senado com uma mensagem explicando por que você acha que o texto não é bom. Se o Parlamento aprovar a lei novamente, o presidente é forçado a promulgá-la.

UMA LEI PODE SER “CANCELADA”?

Através do tempo algumas leis se tornam inadequadas, por esta razão você pode intervir para excluí-los, o melhor, revogar (este é o termo correto)

Existem três formas de fazer isso: com outra lei que regula a mesma matéria, com referendo em que os cidadãos expressam a sua opinião diretamente ou através do Corte Constitucional. O último é um corte “especial” que intervém para que sejam revogadas as leis que contrastam com a Constituição (termo técnico com o qual se indica o cancelamento).

Deixe um comentário