Margherita Hack: Lady of the Stars

«Nasci no dia 12 de junho de 1922 em uma bela cidade, Florença. Não vão acreditar mas aconteceu que a rua onde nasci se chamava Via Centostelle », portanto Margherita Hack, a grande cientista e astrofísica, adorava lembrar suas origens.

MARGHERITA HACK: NÃO ENTURECE

Sua vida é cheia de anedotas e curiosidades, a começar pelos pais que a transmitiram ou melhor, a “incutiram” -como ela disse- i valores fundamentais de liberdade e justiça, além da opção de ser vegetariano; na verdade, Margherita nunca comeu carne na vida. Também porque amava os animais demais para ser capaz de comê-los, ele amava especialmente os gatos, seus grandes amigos que mais tarde lhe fizeram companhia por toda a vida. O senso inato de justiça levou Margherita a lutar contra a política e as lutas sociais. Ele entrou na política e apareceu várias vezes nas listas do Partido Comunista Italiano com a qual foi eleita para a Câmara em 2006, mas desistiu de sua cadeira para não abandonar sua investigação. Mas, entre suas lutas, a campanha pelo retorno às pesquisas sobre energia nuclear e pelos direitos civis dos casais coabitantes e homossexuais. Ele não acreditava em nenhuma religião, ele era umateu convenceu e foi presidente honorário da União de Ateus e Agnósticos Racionalistas.

QUEM DISSE QUE CIÊNCIA E ESPORTE NÃO CONCORDAM?

Margherita sempre foi uma menina diligente e estudiosa, depois do colegial continuou seus estudos no colégio clássico e então, apesar de sua trajetória humanística, se formou em física. Mas Margherita nem sempre estava nos livros, ela também era ótima Esportes! Na verdade, durante seus anos de faculdade, entre 1939 e 1945, ele ganhou o Littoriali, que eram campeonatos universitários durante o fascismo. Ela jogou basquete por muito tempo e podia se orgulhar de ser campeã de salto em altura (seu recorde foi de 1,50m) e de longa distância (seu recorde foi de 5,20m!). Não se esqueça da sua grande paixão pela Fiorentina, a equipa da sua cidade, da qual era grande adepta, e do seu amor pelo ciclismo.

AS PAIXÕES DE MARGHERITA

Inscrita na Faculdade de Física, Margherita descobriu o paixão para astrofísica e começou a estudar as estrelas. Ela se formou em 1945, embora com uma nota não muito boa (101 de 110), mas ela não estava interessada em ser a melhor da classe.

Depois de se formar, ele começou a trabalhar no Observatório Astronômico Arcetri em Florença, onde trabalhou em espectroscopia estelar, seu principal campo de pesquisa. Na prática, o estudo teve que ser realizado durante todo o período de variabilidade da estrela e deduzir as variações luminosas em diferentes comprimentos de onda. Em particular, Margherita se concentrou em estudar um tipo específico de estrelas, chamadas Variáveis ​​cefeidas, chamadas incrivelmente brilhantes e variáveis ​​porque as suas brilho ele muda com o tempo. Após a formatura, passou um período de estudos em Utrech e Groningen, na Holanda, nos Estados Unidos, em Princeton (onde conheceu o pai da tecnologia atômica americana). Robert Oppenheimer) e em Berkeley, onde escreveu, junto com o ilustre astrônomo Otto Struve fugiu da União Soviética, um de seus primeiros tratados Espectroscopia estelar ainda hoje considerado um texto fundamental para a astrofísica. Desde 1982, Margherita Hack também trabalha em estreita colaboração com a seção de astrofísica da “Escola Internacional de Estudos Avançados” (Sissa), em Trieste. A outra grande paixão de Margherita era conhecida por seu marido Aldo De Rosa quando ainda eram crianças e se casaram em 1944. Os dois ficarão juntos por sessenta e nove anos, até 29 de junho de 2013, quando Margherita falece. De Rosa morrerá no ano seguinte.

QUAL A ORIGEM DO HOMEM E DO UNIVERSO?

“Todos nós temos uma origem comum, somos todos filhos da evolução do Universo, da evolução das estrelas, e portanto somos todos realmente irmãos.” E ele explicou assim: “Somos feitos de matéria que foi construída dentro das estrelas, todos os elementos, do hidrogênio ao urânio, foram formados nas reações nucleares que ocorrem nas supernovas, isto é, essas estrelas muito maiores que o Sol, que no final de sua vida explodem e espalham o resultado de todas as reações nucleares dentro delas no espaço. Então, somos realmente filhos das estrelas

Sobre a origem do Universo, em entrevista a Rai3, respondeu ao seguinte: «Não há certezas na ciência. Tentamos com experimentação e observação descobrir as leis que governam o Universo. Além disso, acredito que o Universo é infinito no tempo e no espaço. Eu acredito porque ainda não podemos provar. O Universo existe, mas a razão é desconhecida. A ciência toma nota. Gostaria que o Universo fosse infinito no tempo e no espaço para que não nos perguntássemos: “O que havia antes? O que será depois? O que está fora? Não sabemos porque é infinito. Mas, estudem e observar Descobrimos que uma vez que o Universo era pequeno, pequeno, pequeno e quente, quente, quente, então ele começou a inflar como um balão e a temperatura começou a cair e então estrelas foram formadas. E depois de milhares de milhares de milhares de anos, tornou-se o que conhecemos hoje “(entrevista com Rai3)

SEUS ESTUDOS FORAM IMPORTANTES PORQUE

Sua história científica começou justamente com a tese sobre estrelas variáveis, a Cefeidas, e explicou-as da seguinte forma: “São estrelas que se caracterizam pela extrema regularidade das suas variações luminosas e a sua grande importância consiste no facto de existir uma estreita relação entre o período de variabilidade e o seu brilho intrínseco”.

E graças a essas observações, hoje, Estrelas desse tipo são consideradas pontos de referência fundamentais para medir a distância de galáxias. ao qual eles pertencem Além disso, as distâncias encontradas com este método são consideradas entre as mais precisas conhecidas atualmente. Outra grande contribuição científica de Margherita Hack diz respeito à astronomia ultravioleta, isto é, olhar para o espaço sob os raios ultravioleta para poder observar com precisão fenômenos que de outra forma seriam invisíveis, como estrelas em ascensão ou que estão prestes a morrer.

A PRIMEIRA MULHER A LIDERAR UM OBSERVATÓRIO ASTRONÔMICO

Margherita Hack foi a primeira mulher italiana a chefiar o Observatório Astronômico de Trieste de 1964 a 1987, ensinou astronomia na Universidade de Trieste (e mais tarde tornou-se chefe do departamento) e foi membro da Accademia Nazionale dei Lincei e dos grupos de trabalho . da ESA e NASA. Em 1979 a 2002, Margherita Hack fundou e dirigiu junto com Corrado Lamberti (astrofísico e divulgador da ciência), astronomia a revista astronômica mais importante que já existiu na Itália. E então, em 2002, sempre junto com Lamberti, ele fundou “As estrelas“, outra revista que funcionou até 2008. Além disso, Hack escreveu dezenas de livros populares para” apresentar “leitores menos experientes do mundo das estrelas com uma linguagem. Em 1995, dois astrônomos, com sua homenagem, deram seu nome a um novo asteróide: 8558 Hack. Star Woman morreu em 29 de junho de 2013.

Deixe um comentário