Os vampiros realmente existem? Quem inventou o Drácula e os outros?

Da Europa à Ásia à Austrália: o mito do vampiro, ou seja, uma criatura que suga o sangue dos outros e possui poderes misteriosos, existe em todo o mundo. Mas os vampiros realmente existem?

Nós Vampiros Eles não existem, mas alguns deles, incluindo os menos famosos, são inspirados por pessoas que realmente viveram. Além disso, existe uma doença que, se você sofre, causa sintomas que lembram muito a vida de Vampiros de filmes e quadrinhos.

QUEM INVENTOU VAMPIROS?
O vampiro mais famoso de todos, entre nós, é o das lendas do Leste Europeu que, nos séculos 18 e 19, na Romênia e na Hungria até levaram as autoridades a mandarem descobrir os túmulos e queimar os corpos dos supostos cadáveres Vampiros.

Essas lendas também influenciaram o romance. Drácula, por sua vez inspirado na figura histórica de Vlad III, o Príncipe da Valáquia (1431-1476) rebatizado de “Vlad, o Empalador” por matar de 40 a 100.000 pessoas dessa maneira.

ONDE NASCE O MITO DOS VAMPIROS?

Alguns especularam que os vampiros eram na verdade pessoas com uma forma de porfiria, um grupo de doenças genéticas do sangue que às vezes causa hipersensibilidade severa à luz solar (bem como Vampiros)

Para outros, a explicação pode estar ligada a raiva (doença que também causa intolerância à luz e pode causar distúrbios neurológicos que levam a picadas) ou em casos de pessoas ainda vivas enterradas por engano, que depois pareciam ter saído da sepultura.

A explicação mais provável, no entanto, é da natureza psicológico. A Vampiros, como outros monstros presentes em mitos e lendas, representam na verdade também uma forma de exorcizar o nosso medo do diferente, do novo e de tudo que não conhecemos.

De Twalight a Draculino: os vampiros então realmente existem, mas apenas em filmes e livros.

Nascidos como criaturas mitológicas ou folclóricas, os vampiros continuam a “viver” até hoje graças a livros, filmes, quadrinhos e até videogames.

A fama dessas criaturas, entretanto, começa muito antes e provavelmente atingirá seu clímax com o romance. Drácula por Bram Stoker (1897), por sua vez precedido pela história O vampiro de John Polidori, em 1819.

QUAL FOI A PRIMEIRA MULHER VAMPIRA?

A primeira vampira, que também influenciou Stoker, o autor de Drácula, é ao invés aquela contada na história. Carmilla (1872) por Sheridan Le Fanu. Vive em três épocas diferentes, chamando-se a cada vez com um nome que é o anagrama da anterior (Carmilla, Mircalla, Millarca).

VAMPIROS NO CINEMA

Sobre cinema, um dos primeiros filmes de vampiro é Nosferatu de Murnau, de 1922, que lançou uma longa série de filmes sem paródias, como Por favor, não me morda no pescoço! por Roman Polanski (1967) ou, na Itália, Fracchia vs. Drácula por Neri Parenti (1985).

Sobre Blacula, um filme de 1972, Drácula tem origens africanas e pele negra. Como protagonista de Espada, a história em quadrinhos da Marvel a partir da qual vários filmes também foram extraídos.

No campo das listras desenhadas (a figura do vampiro também aparece repetidamente nas histórias de Dylan Dog ou Martin Mistère) não faltaram versões cômicas, como Draculina: um quadrinho italiano de 1974.

EM VIDEOGAMES

Castlevania, Chuva Vampiro: Espécies Alteradas, O legado de Kain, Vampire: The Masquerade-Bloodlines, Buffy, a Caçadora de Vampiros, Submundo: a guerra eterna, Bloodrayne. Estes são apenas alguns dos muitos videogames em que o jogador precisa lutar e matar a maior parte do tempo. “Monstros sugadores de sangue”.

Deixe um comentário