Euro 2020: curiosidades e curiosidades sobre os campeonatos europeus de futebol

Um torneio europeu datado de 2020, mas disputado em 2021, não pode ser um torneio como outro qualquer. Sim porque UEFA Euro 2020, o campeonato europeu de futebol adiado no ano passado devido à pandemia do coronavírus, reserva muitas surpresas

CURIOSIDADES SOBRE O EURO 2020

  • TORNEIO errante – Euro 2020 é primeiro campeonato europeu “itinerante”, ou seja, hospedados em muitos países. Na verdade, até agora, a tradição tinha que ter uma ou duas nações vizinhas para disponibilizar suas instalações esportivas para as partidas do torneio (França 2016, Polônia-Ucrânia 2012, Áustria-Suíça 2008 etc …). No entanto, até 2020, ano do 60º aniversário da UEFA, a organização internacional que gere o futebol europeu, foi decidido incluir 13 cidades (mais tarde reduzido para 11) de tantos países. Infelizmente, o COVID-19 tem meia mão, obrigando o torneio a ser adiado por um ano e comprometendo a presença de grande número de adeptos nas arquibancadas.
  • EURO ODD – Mais uma vez, por motivos relacionados com a pandemia, o Euro 2020 é o primeiro europeu a jogar em um ano ímpar. Porém, para não comprometer a contagem e preservar a continuidade do torneio, optou-se por manter a redação “2020” apesar de todas as partidas serem disputadas entre junho e julho de 2021.
  • DE PAI PARA FILHO – Entre as estrelas do Europeu de 1996, disputado na Inglaterra, as francesas estavam entre as estrelas do torneio. Lilian Thuram, os italianos Enrico Chiesa e o goleiro dinamarquês Peter Schmeichel. Bem, olhando para as listas das equipes participantes deste ano, alguns fãs descuidados podem pensar que eles voltaram no tempo. Sim, porque também no Euro 2020 estão Thuram, Chiesa e Schmeichel, mas não são as mesmas velhas glórias que decidiram calçar novamente … mas seus filhos Marcus, Frederick isso é Kasper (também goleiro como o pai).
  • GOAL RAIN … – Durante as oitavas de final entre a Espanha e a Croácia, o objetivo de Mislav Oršić estabeleceu o novo registro de gols no fase final de um europeu (109). Claro, o número continua crescendo (no momento estamos em 118): quem sabe quantos gols serão alcançados com a final de 10 de julho?
  • … E AUTOGOL – Euro 2020 é também o europeu em que eles enfrentaram mais gol contra para sempre. Depois do infeliz desvio do meio-campista suíço Zakaria na Suíça-Espanha, na verdade, as seleções participantes já infligiram 10 gols por conta própria!
  • ÚNICO EXTERIOR – Entre os quatro semifinalistas do torneio Itália, Espanha, Dinamarca e Inglaterra, apenas este último pode ganhando a copa pela primeira vez. Na verdade, a Espanha já levantou o troféu duas vezes (2008 e 2012, contra nós), enquanto a Itália e a Dinamarca o fizeram em 1968 e 1992, respectivamente.

CURIOSIDADES SOBRE EQUIPES DE FUTEBOL EUROPEIAS

Os europeus são sempre torneios emocionantes, cheios de reviravoltas. Então, aqui estão algumas “guloseimas” que talvez você não conheça …

  • A XÍCARA – A taça erguida ao céu pelos vencedores é toda pratapesa bem 12 quilogramas e é dedicado a Henri Delaunay, o secretário da UEFA que estava entre os proponentes do primeiro torneio europeu de 1960, mas desapareceu antes de se dar conta
  • ITÁLIA E DINHEIRO – Em 1968, a Itália foi o único time na história do torneio a para ganhar uma partida … Rosto ou coroa! Naquela altura, de facto, em caso de empate no apito final, não se previam grandes penalidades, pelo que depois de um muito apertado 0-0 frente à União Soviética, o árbitro convocou os dois capitães das equipas (Giacinto Facchetti e Al ‘bert Šesternëv) para decretar o vencedor com sorteio. Na primeira vez a moeda caiu e acabou flutuando entre duas fichas, mas na segunda vez foi declarada “cara”, escolha de Facchetti. Assim, a Azzurra poderia seguir em frente e vencer a final contra a Iugoslávia (derrotada por 2 a 0 somente após a repetição, pois a primeira partida terminou em 1 a 1).
  • COLHER OU PANENKA? – A edição do Euro 2002 é famosa, assim como a arrasadora derrota italiana na final contra a França, pelo famoso “colher” de Francesco Totti, esse é o pênalti zombeteiro com que o campeão da Roma venceu o goleiro holandês (ele celebra sua frase em dialeto romano pronunciada antes da piada: “Mo je fa er spoon”). No entanto, no resto da Europa essa bebida em particular não é chamada de “colher”, mas “Panenka”, já que o primeiro inventor desse chute central que desloca o goleiro foi Antonín Panenka, um jogador de futebol tcheco que decidiu derrotar o goleiro da Alemanha Ocidental Seep Maier para vencer outro europeu, o de 1976, que também foi o primeiro decidido na final pelo criminoso.

Deixe um comentário