EuroVelo, a rede de ciclovias que atravessa a Europa

E ele a ciclovia mais impressionante do mundo! Conecte todas as nações de um continente inteiro, incluindo seus três mares! Mais de 80.000 km totais a percorrer de bicicleta, divididos em 17 itinerários (3 dos quais ainda em construção), de norte a sul e de leste a oeste. Um sonho? Não, é realidade! E já faz alguns anos! Se chama EuroVelo e é um complexo de ciclovias pelas quais você pode visitar toda a Europa.

Algumas rotas ainda não estão equipadas com redes de bicicletas reais separadas da estrada, mas o plano está em constante evolução e aprimoramento.

BICICLETA, SAÚDE E SUSTENTABILIDADE

No estudo desde 1989, ano da queda do Muro de Berlim, que dividiu uma parte da Europa da outra por motivos políticos, o projeto se tornou oficial em 1995, graças a mais de 60 associações de ciclismo de vários países. Em 1997 chegaram os fundos europeus e o primeiro mapa que marcava 12 itinerários. Em 2001 o primeira maneira.
EuroVelo quer combinar o Saúde, através da utilização de bicicletas e do conhecimento direto do património histórico, cultural e naturalista europeu. Na verdade, junto com o circuito EuroVelo, muitos projetos de respeito e proteção do meio ambiente. Não só isso: o EuroVelo apresenta-se como uma excelente possibilidade para o desenvolvimento do Turismo sustentável, trazendo grandes benefícios para as economias locais sem sobrecarregar o meio ambiente e beneficiando a qualidade de vida.

O NASCIMENTO: DO MAR DO NORTE À “ESTRADA DA CORTINA DE FERRO”

Tudo começou em 2001 com oEuroVelo12 (EV12), conhecida como a “Ciclovia do Mar do Norte”, seguida de outras rotas entre as quais se destaca, pela importância, aEuroVelo13 (EV13), ou “caminho da cortina de ferro”, que também é o mais extenso de todos (cerca de 10.500 km): junte e una a Noruega à Bulgária tocando 14 sites da Unesco e três mares, cruzando todos os países que faziam parte da chamada “cortina de ferro” antes da queda do Muro de Berlim. O objetivo adicional deste roteiro especial foi e é reunir nações que durante décadas estiveram separadas por problemas políticos (coisas para adultos …) e que muitos não puderam visitar, finalmente redescobrindo as joias históricas, artísticas, culturais e paisagísticas que até não muito tempo atrás, eles eram praticamente desconhecidos para a maioria!

OS 17 ITINERÁRIOS, DE NORTE A SUL, ORIENTE E OCIDENTE

Sim um número ímpar, significa que são itinerários que vão de norte a sul. Se, por outro lado, um número par significa que as rotas vão de leste a oeste. Os itinerários EV16 e EV18 ainda não existem, enquanto EV14, EV17 e EV19 ainda estão em construção.

EuroVelo
A rede de pistas EuroVelo em toda a Europa.
Créditos: Eurovelo.com

Vamos começar com os ímpares, ou seja, de norte a sul:

  • EV1 (mais de 8.000 km): Rota da Costa Atlântica. Passa pela Noruega, Grã-Bretanha, Irlanda, França, Espanha e Portugal.
  • EV3 (mais de 5.000 km): Rota de Santiago ou Rota dos Peregrinos. Ele atravessa Espanha, França, Bélgica, Alemanha, Dinamarca, Suécia e Noruega.
  • EV5 (cerca de 4.000 km): Via Romea Francigena. Passa pela Grã-Bretanha, França, Bélgica, Luxemburgo, Suíça e Itália.
  • EV7 (mais de 6.000 km): rota da Europa Central. Começa no Cabo Norte e atinge Copenhague, Berlim, Praga, Salzburgo, Bolonha, Nápoles, Siracusa, Malta.
  • EV9 (cerca de 2.000 km): do Mar Báltico ao Mar Adriático (Via dell’Ambra). Passa pela Polônia, República Tcheca, Áustria, Eslovênia, Itália e Croácia.
  • EV11 (cerca de 6.000 km): Rota do Leste Europeu. Passa pela Noruega, Finlândia, Estônia, Letônia, Lituânia, Polônia, Eslováquia, Hungria, Sérvia, Macedônia do Norte e Grécia.
  • EV13 (aproximadamente 10.500 km): Estrada da Cortina de Ferro. Passa pela Finlândia, Rússia, Estônia, Letônia, Lituânia, Polônia, Alemanha, República Tcheca, Áustria, Eslováquia, Hungria, Eslovênia, Croácia, Sérvia, Romênia, Bulgária, Macedônia do Norte, Grécia, Turquia, Bulgária.
  • EV15 (cerca de 1.500 km): Rota do Reno. Passa pela Suíça, França, Alemanha e Holanda.
  • EV17 (cerca de 1.500 km no momento, ainda em construção): Rota do Ródano. Ele passa pela Suíça e pela França.
  • EV19 (cerca de 1.500 km no momento, ainda em construção): Rota do Mosa. Passa pela França, Bélgica e Holanda.

Passemos agora aos números pares, ou seja, aos itinerários de leste a oeste. Aqui estão.

  • EV2 (cerca de 5.500 km): Rota das Capitais. Passa pela Grã-Bretanha, Holanda, Alemanha, Polônia, Bielo-Rússia e Rússia.
  • EV4 (aproximadamente 4.000 km): do Canal da Mancha ao Mar Negro. Passa pela França, Bélgica, Alemanha, República Tcheca, Polônia e Ucrânia.
  • EV6 (cerca de 4.000 km): do Oceano Atlântico ao Mar Negro. Toca Viena, Budapeste, Belgrado, Bucareste.
  • EV8 (cerca de 5.500 km): Itinerário do Mediterrâneo. Ele atravessa a Espanha, França, o Principado de Mônaco, Itália, Eslovênia, Croácia, Montenegro, Albânia e Grécia.
  • EV10 (cerca de 8.000 km): Rota do Mar Báltico (Circuito dell’Ansa). Passa pela Rússia, Finlândia, Suécia, Dinamarca, Alemanha, Polônia, Lituânia, Letônia e Estônia.
  • EV12 (cerca de 6.000 km): Rota do Mar do Norte. Passa pela Noruega, Suécia, Dinamarca, Alemanha, Holanda, Grã-Bretanha.
  • EV14 (cerca de 1.500 km no momento, em construção): águas da Europa Central. Ele atravessa a Áustria e a Hungria.

Esses itinerários nascem da fusão de seções existentes de ciclovias que foram unido e estendido para nações que antes não tinham redes de bicicletas. Destes sobre 80.000 km de ciclovias, cerca de 45.000 são seguros porque são estruturados em ciclovias modernas. Os 35.000 km restantes não são ciclovias reais e precisam de muita atenção e informações antes de embarcarmos neles.

NA ITÁLIA, A FIAB RESPONSABILIZA PELA COORDENAÇÃO DA EUROVELO

Na Itália é o Conto de fadas (Federação Italiana do Meio Ambiente e da Bicicleta) responsável pela coordenação para o desenvolvimento da rede cicloviária EuroVelo desde 2011. Eu sou três itinerários que cruzam a Itália: EV 8 (rota de ciclismo do Mediterrâneo); EV5 (Ciclovia Romea-Francigena) e EV7 (Ciclovia del Sole).

No site da Fiab você pode encontrar informações sobre os itinerários da EuroVelo, em cujo mapa a Itália tem aprox. 5.000 km de ciclovias e ciclovias. A Fiab está prestes a nomear as ciclovias da Sardenha e do Adriático como extensões de EV8 e EV9 por mais 2.500 km, e está pressionando por 5.000 km de ferrovias que não podem mais ser usadas para se tornarem ciclovias.

A Itália ocupa o quarto lugar na Europa em extensão de itinerário no mapa EuroVelo, atrás da Alemanha (9.800 km), França (8.600 km) e do Reino Unido (6.000 km).

Deixe um comentário