Cabaret: história e origem de uma palavra muito especial

A alegria que as palavras dão é imensurável (ou seja: não pode ser medida). Usamos uma palavra hoje, também a usávamos há um século ou mais e o significado era um pouco diferente. Então nos perguntamos: mas qual é a sua origem? E se tentarmos encontrar suas raízes, embarcaremos em uma jornada maravilhosa. Bem, hoje a palavra que queremos falar é cabaré. Certamente até o menor de vocês já ouviu isso. Hoje é um espetáculo que para nós italianos é do gênero comédia, em que atores cômicos sobem ao palco para tentar fazer os espectadores rirem enquanto talvez tomem uns drinques.

Na Espanha, ainda hoje, essa palavra denota um espetáculo, mas de um tipo particular, com muita sedução. A palavra como a conhecemos hoje parece vir da França., de onde se origina essa forma de espetáculo no final do século XIX e que, mais do que um gênero cômico ou erótico como na Espanha, denota um tipo de investigação e experimentação de linguagens teatrais. Mas essa palavra sempre significou uma espécie de show? Nós vemos.

shows? Não, os cabarés eram locais.

Na França já em 1300 havia alguns lugares assim chamados: eram uma espécie de tavernas onde bebíamos, comíamos e nos divertimos com música ao vivo, geralmente entre gritos e piadas bastante vulgares. Os viajantes muitas vezes paravam lá para buscar refrescos e entretenimento na companhia dos habitantes locais. Bem, vamos recapitular: o nome de um clube deu origem a um espetáculo. Origem: França. Ano: por volta de 1300.

Temos certeza de que devemos parar em 1300 e na França, onde essa palavra significava “pequeno quarto” e talvez fosse de origem picarda ou valona (de você vai mudar qualquer cabrete)? Eu diria que não. Relógio.

4.000 anos atrás havia cabarés na Mesopotâmia!

Poucos sabem que a origem da palavra cabaret não é francesa e que seu uso não tem “apenas” 700 anos. Sim, porque é muito, muito mais velho! E nem vem da Europa, mas de Mesopotâmia, antiga terra dos sumérios, babilônios, assírios e persas, agora em grande parte no Iraque. Lá, a palavra cabaré denotava uma “taverna”, ou seja, um lugar onde se podia comer e beber em companhia, talvez com música ao vivo ao fundo, já 2000 anos antes do nascimento de Cristo!

Geralmente esses lugares eram frequentados principalmente por homens, mas administrados por mulheres. Na Epopéia de Gilgamesh (o mais importante texto mitológico assírio-babilônico) aparece Siduri, que foi a mais famosa amante do cabaré. a Código de Hamurabi, que é a mais antiga coleção de leis escritas que chegou até nós (que remonta a cerca de 1800 aC) e é babilônica, menciona o cabaré várias vezes. Por exemplo, as sacerdotisas são proibidas de entrar nessas instalações, sob pena de morte por queimadura.

Nos ritos de purificação chamados namburbutodo aquele que quisesse se purificar de uma mancha física ou moral tinha que ir ao cabaré e conversar com a clientela local, sendo assim “reintegrado” à sociedade humana.

O que foi consumido em um cabaré

De acordo com alguns textos de cerca de 1.000 aC, era consumido principalmente em um cabaré comum. álcool de tâmara fermentada e comida de jardins próximos. Em cada cabaré havia também muitas camas – um pouco como nas estalagens de outrora – nas quais os viajantes que passavam podiam dormir sozinhos ou na companhia de uma mulher. Às vezes havia jogadores para entreter.

A viagem termina em… Zelig!

A viagem da palavra cabaré, portanto, começa há cerca de 4.000 anos na Mesopotâmia e significa “taverna”. Depois na França, na Idade Média, encontramos o “cabaré” com o próprio significado de uma taberna onde se podia comer e apreciar alguns espetáculos. Mais tarde, no século XIX, o local, que é a taberna, passa também a denotar uma espécie de espetáculo: cabaré, na verdade, é tanto o gênero do espetáculo quanto o nome do lugar.

Na França também o Moulin Rouge é um cabaré, e é bem obsceno, mais do que engraçado. Na Itália a viagem termina, por exemplo, em…Zelig! Sim, com certeza você já viu o programa apresentado por Claudio Bisio e Vanessa Incontrada, certo? Bem, o “Zelig” é um famoso clube milanês nascido em 1986 onde muitos comediantes famosos se lançaram e vieram atrás das glórias do outro clube de cabaré milanês, o “Derby Club”. Muitos dos melhores comediantes do nosso país se apresentaram e continuam se apresentando no Zelig – o programa de televisão que foi transferido para o Teatro Arcimboldi em Milão desde 2006. Em Zelig havia e faz cabaré.

O Zelig foi e é um cabaré. E a jornada de 4000 anos termina aqui! Ah, esquecemos: em certas áreas da Itália, cabaré (escrito assim) significa “bandeja”… Como você persegue os significados da mesma palavra, hein pessoal?

Fontes

  • JL Flandrin e M. Montanari (eds), History of Nutrition, pp. 29-30
  • tranças
  • Internacional

Deixe um comentário