Assobiar e não falar? Muitas cidades se comunicam dessa forma.

O QUE SÃO AS “LÍNGUAS DE ASSOBIO”?

Por que assobiar? Embora grande parte do mundo se comunique por meio de palavras, ainda existem pessoas que usam principalmente o apito. São justamente as “línguas assobiadas”, hoje meio de comunicação de setenta pequenas comunidades no mundo. Com as línguas assobiadas, é possível se comunicar a uma distância muito grande, e isso tem sido feito desde os tempos antigos.

Já Heródoto, há cerca de 2500 anos, os menciona em suas “Histórias”. Apesar disso, os linguistas os descobriram há não muito tempo, quando já estavam em vias de extinção. Agora que os especialistas os conhecem, há esperança de que ainda estejam vivos. Agora como ontem, assobiar para falar é usado principalmente por pessoas que vivem em áreas montanhosas ou em florestas pouco povoadas.

Mas quem os usa, não conhece a língua falada? Não, ele não faz isso. Digamos que o apito seja o culminar da linguagem falada.

ILHAS CANÁRIAS: EL SILBO GOMERO

Nas Ilhas Canárias ainda existe e, durante muitos séculos, “El Silbo Gomero” foi uma comunicação baseada no apito utilizado pela população Guanche. Localizados nas montanhas, eles podem se comunicar com essa língua sibilada até a uma distância de dez quilômetros! É uma língua que estava em perigo de extinção até há pouco mais de trinta anos. Portanto, além de uma grande intensificação dos estudos a ela relacionados, le as escolas de La Gomera o incluíram entre suas disciplinas de ensino, de modo que até as crianças do ensino fundamental e médio agora o conhecem e falam perfeitamente. Em 2009 Silbo Gomero foi incluído pela UNESCO na lista do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade. É a única língua assobiada do mundo falada por uma grande comunidade (22.000 habitantes). Já na antiguidade vários historiadores o mencionaram, e a tripulação de Jean de Béthancourt, na conquista das Ilhas Canárias, o menciona em 1402 em seus diários de bordo, dizendo que os Guanches falavam “com dois lábios como se não tivessem língua”. .

DA TURQUIA AO MÉXICO, PASSANDO DA GRÉCIA E DA ÁFRICA

Além das Ilhas Canárias, existem outros lugares no mundo onde se usam línguas assobiadas. Na Turquia, no território de Kuskoy, a língua assobiada é chamada de “língua dos pássaros”. Mas eles existem nos Pirenéus franceses, no México entre os mazatecas, na China na região de Yunnan. Na África, em algumas populações, apitos feitos à mão são usados ​​para se comunicar. Na Grécia, na ilha de Evia, na aldeia de Antià, ainda sobrevive a “sfyrià”, uma antiga língua assobiada. Depois, há os de Gavião na Amazônia, os de Hmong e Akha no sudeste da Ásia, os de Yupik no estreito de Bering. Em todas essas línguas, o apito segue os elementos fonéticos da língua falada. Na China antiga, a arte de assobiar para se comunicar era uma técnica taoísta.

POR QUE O ASSOBIO E NÃO A PALAVRA?

Você pode se perguntar por que o apito é usado nessas comunidades. Simples: com sua língua assobiada, ele pode se comunicar a quase um quilômetro de distância; um grito não ultrapassa 200 metros, enquanto a língua falada em voz alta não excede 40. Mas não é só por isso que é utilizado: é o protagonista também de certos rituais, e não é compreensível para estranhos presentes. Para salvar o Silbo Gomero das Canárias, declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, não só é ministrado nas escolas, mas foram ativados cursos especializados para que possa aprender a quem quiser. Além disso, por meio do chiado da língua, os neurobiologistas estão estudando as habilidades cognitivas do cérebro humano e processando informações por meio da audição.

Deixe um comentário