Afeganistão: quem são os talibãs

O Taleban recuperou o controle do Afeganistão. Esta é a notícia que já circula há vários dias em todos os meios de comunicação. Nos últimos anos, a palavra “Talibã” praticamente entrou em linguagem comum para indicar aqueles que têm uma atitude excessivamente rígida em relação a algo, mas o que realmente significa? Quem são os talibãs? E o que está acontecendo no Afeganistão?

O termo Talibã vem do Talibã, que significa estudante (das escolas do Alcorão) em pashto, a língua falada no Afeganistão e no Paquistão.

Na televisão e na Internet, vemos imagens de homens armados em movimento. Os talibãs, na verdade, são guerrilheiros, mas não nasceram hoje. Se trata Grupos armados que se formaram no final dos anos 1970 para lutar contra as tropas soviéticas. que invadiu o país. Em seguida, eles foram ajudados (e armados) pelos Estados Unidos, que queriam impedir a expansão de Moscou para o Oriente Médio. Exceto quando os russos finalmente se retiraram, o controle do país passou para suas mãos e é assim que as coisas são. fundou o emirado islâmico do Afeganistão: um regime baseado na lei Sharia, a aplicação estrita do Alcorão que estabelece leis obscurantistas especialmente contra as mulheres (por exemplo, elas são forçadas a usar a burqua).

Este governo era então derrubado em 2001 pelos Estados Unidos após os ataques de 11 de setembro organizado pela Al Qaeda, um grupo terrorista liderado por Osama bin Laden e ligado ao regime do Talibã.

Desde então, este difícil território é presidido por uma coalizão internacional há vinte anos. (com presença militar também da Itália) sob a liderança dos Estados Unidos. O objetivo: manter o Taleban fora e fazer o país voltar ao normal.
Então, por que se fala novamente do Taleban hoje?
Este ano, o governo dos Estados Unidos iniciou a retirada de suas tropas., (considerado engajado por muito tempo em solo estrangeiro), mas a consequência imediata foi o retorno do Taleban.
Então eles não foram derrotados? Definitivamente não, eles simplesmente desapareceram, escondidos nas montanhas escarpadas de um dos territórios mais difíceis de conquistar do planeta. E não havia praticamente ninguém para impedir seu retorno, de fato a presença internacional nos últimos anos não só falhou em formar um verdadeiro governo, mas nem mesmo um exército autônomo capaz de lutar contra esses extremistas. E agora estou de volta ao poder em Cabul.

E o mundo inteiro teme pelo destino de tantas mulheres e meninas que provavelmente serão forçadas a deixar a escola ou o trabalho e de todos aqueles cidadãos que nos últimos anos colaboraram com os ocidentais na esperança de criar um Afeganistão democrático e agora podem sofrer vingança do Talibã.

Deixe um comentário