Como funcionam os ouvidos e a audição

Dos nossos cinco sentidos, ouvir é o primeiro a se formar, quando ainda somos um feto de apenas 3 meses de idade. Seu propósito é transformar estímulos acústicos em sensação auditiva (som), pegando sinais sonoros do ambiente externo e transformando-os para enviá-los ao cérebro, onde são decodificados e reconhecidos.
Ao nosso ouvido todo som externo tem a forma de uma onda sonora, exatamente como as que vemos no mar ou que nos provocamos movendo nossas mãos em uma poça d’água.

O complexo sistema de mecanismos estabelecido para este fim é o aparelho auditivoou, que nos permite perceber uma onda sonora como um som definido, com características precisas de intensidade, potência e volume.

COMO NOSSA AUDIÇÃO É FEITA

A orelha é dividida em três partes:

O ouvido externo, que corresponde ao pavilhão auricular e serve para coletar e direcionar as ondas sonoras para dentro, também desempenhando um papel protetor para o ouvido médio. Não é por acaso que o pavilhão tem aquele formato estranho. Olha só: aquela espécie de labirinto concêntrico que termina em um buraco, é feito assim para coletar sons e direcioná-los para dentro.

Então há ouvido médio, que consiste em uma membrana chamada tímpano e tórax timpânico. O tímpano, que se assemelha a um véu de chiclete, tem a função de captar, amplificar e transmitir as vibrações das ondas sonoras para o ouvido interno.
Além do tímpano, existem três pequenos ossículos: o martelo, a bigorna e o estribo. Esses vibradores transmitem ondas sonoras para o cóclea (Também chamado de caracol, devido ao formato que lembra caramujos marinhos ou terrestres).

A cóclea é o coração doouvido interno, que consiste em uma série de cavidades escavadas no osso temporal, e é aqui que a energia auditiva é processada e transformada em impulsos elétricos que são enviados ao cérebro.
Ao longo desse tipo de espiral que é a cóclea, existem minúsculas células sensoriais chamadas células ciliadas, que detectam o movimento e o transformam em sinais químicos para o nervo auditivo.

Mais tarde o nervo auditivo transmite a mensagem para o tálamo e depois para o córtex cerebral, que é a área do cérebro que processa e interpreta o que ouvimos.

OUVINDO EM ANIMAIS

Muitos animais, como os felinos, têm uma audição muito mais desenvolvida do que a nossa, o que lhes permite ouvir um objeto que se aproxima a quilômetros de distância.

Um caso muito indicativo é o de morcegos que apesar de ser quase cego Eles “vêem” com os ouvidos.

Certamente você já percebeu, às vezes, nas tardes de verão, aquele vôo circular pelas casas. Para saber a distância exata das coisas Os morcegos emitem ondas sonoras de alta frequência que “ricocheteiam” nos objetos e retornam a eles., permitindo, por exemplo, determinar a distância de um obstáculo, evitá-lo ou localizar uma presa.

Fontes: Enciclopédia Treccani e Prof. Sergio Albanese

Deixe um comentário