Natureza: 9 fatos muito interessantes sobre suculentas

Por que as suculentas são chamadas assim? E quantos tipos de suculentas existem? Você sabia que alguns também fazem flores e que alguns preferem morar dentro de casa enquanto outros crescem melhor na varanda?

Aqui está 10 curiosidades sobre suculentas que talvez você não soubesse!

1 – DE ONDE VEM O NOME?

Na verdade, o termo exato usado pelos botânicos para indicar este tipo de planta é “suculento”, E deriva do fato de seus tecidos estarem impregnados de água, então ficam … suculentos!

Graças aos grandes vacúolos (organelas dentro das células vegetais) presentes no caule, a água e os nutrientes permanecem armazenados para que o caule e as folhas carnudas se tornem verdadeiros reservatórios, liberando água em momentos de necessidade. Até a epiderme, coberta com substâncias cerosas que limite de evaporação, ajuda a dar a essas plantas uma aparência “gorda” (daí o nome) e a limitar a transpiração.

2 – QUAIS SÃO OS TIPOS?

São cerca de 10 mil espécies de suculentas, diferentes em tamanho e morfologia: desde os típicos cactos globulares como o “travesseiro da sogra” (Echinocactus grusonii), uma longa agave de folhas carnudas que floresce apenas uma vez na vida e depois morre; desde peras espinhosas que fornecem frutos muito doces e aguados até saguaros muito altos e de crescimento lento que crescem sozinhos nos desertos da América do Norte e Central.

3 – AS FLORES FAZEM?

Podemos dividi-los em três grupos. O primeiro é aquele que inclui o Cacto do deserto (dos gêneros Mammillaria, Echinocerean isso é Rebutia), cactos do deserto, que florescem na primavera ou no verão, a menos que sejam expostos a temperaturas muito altas no inverno – desligue os radiadores ou peça que mamãe e papai os mudem, se você tiver um em casa.

O segundo grupo é o de Suculenta cobertura do solo isso é plantas trepadeiras, apreciada pela sua floração particularmente sugestiva. Os mais fáceis de encontrar (e crescer) são Lampranthus, Crassula isso é Ceropegia.

Terceiro, o Suculenta em anos: pequenos e delicados, são especialmente “exigentes” e difíceis de fazer florescer. Entre eles estão os Lithops, conhecidos como “pedras vivas” e os do gênero Conophytum, com flores de outono amarelas ou rosa.

4 – PLANTAS EXTERIORES

Entre plantas gordurosas que resistem até mesmo a baixas temperaturas e, portanto, podem ser mantidos no jardim, existem Semperiverum: uma dezena de espécies pertencentes à família Crassulaceae reconhecível pelas pequenas rosetas densas e carnudas, com folhas triangulares e pontiagudas.

Eles crescem praticamente em todos os lugares! Outras suculentas ao ar livre são os mencionados atuns (assim chamados embora seu país de origem seja o México!), As agaves e a “almofada da sogra”. O Sedumenfim, é uma erva daninha que nada teme e é muito utilizada em jardins de pedras.

5 – PISOS DE VARANDA

Sedum também estão entre os suculentas para varandas Recomendado para quem mora na cidade ou não tem jardim. Existem cerca de 600 variedades diferentes que se adaptam facilmente ao envasamento.

Alguns exemplos: Sedum acre é ideal para quem procura plantas “pendentes”, pois o caule, com flores amarelas e com menos de dez centímetros de comprimento, cai sobre si mesmo; Ele também Sedum anglicum (flores branco-rosadas) não excede dez cm de altura; a Sedum espetacularpor outro lado, que tem flores rosa, pode crescer até 60 centímetros.

6 – PLANTAS INTERNAS

A característica mais interessante do suculentas para plantas de interior tem a forma: cónica, cilíndrica, redonda ou espiral, são recolhidos em pequenos potes para colocar na cozinha, na sala de jantar ou na entrada. Aqui estão alguns exemplos, deEuphorbia Mili ai Lithops (as “pedras vivas”) das quais já falamos, até mesmo o cacto zebra.

7 – COMO ELES SÃO CUIDADOS DELES?

No cuidado com as suculentas, o plantio é muito importante, é a escolha do local onde plantar e colocar. Definitivamente, você deve escolher um lugar ensolarado e protegido de geada, com um drenagem do solo (isto é, não retém água) e canteiros de flores elevados.

A maioria das plantas que vivem do lado de fora também podem ficar no apartamento, mas com mais alguns cuidados: na casa devem ser colocadas em locais com muita luz e ar. Existe apenas um grupo de suculentas que preferem sombra: le Epífita, originalmente de selvas úmidas.

8 – COMO TRATÁ-LOS NO INVERNO

Mas e as suculentas quando queda de temperatura? Na verdade, muitas dessas plantas estão acostumadas às mudanças de temperatura do deserto, onde as temperaturas podem cair rapidamente à noite.

Lembre-se de consertar os das varandas, que temem muito mais a chuva do que o frio! No inverno não devem ser molhados, para não correr o risco de a água congelar causando danos irreparáveis, e como sempre devem ser expostos ao sol.

9 – O MAIS ESTRANHO

As suculentas mais raras são as menos comuns (e mais caras), comoEscobaria mínima, EU ‘Astrophytum asterias, EU ‘Ariocarpus, EU ‘Euphorbia ambovombensis ou o Mammillaria pectinifera, ou aqueles que vivem em lugares virtualmente inacessíveis como o Discocatus, que se prolifera entre as fendas das rochas.

Entre os mais rarosAztekium hintonii, cacto bastante pequeno (atinge dez cm) de crescimento muito lento, eAloe polyphylla, mesmo em caminho de extinção.

Deixe um comentário