Quantos universos existem? A teoria do multiverso o estuda

Você já imaginou Quantos universos existem? Nos livros de ciências, estudamos que nosso universo foi gerado a partir de grande explosão, uma grande explosão de energia, chamada de energia primordial, que deu origem a um “balão” de matéria, composto de corpos celestes e espaços. Mas nos últimos anos, graças a estudos matemáticos combinados com a observação de mapas obtidos de satélites de última geração, estamos tentando demonstrar oteoricamente, em vez de um único Big Bang, poderia haver muitos, cada um dos quais geraria um universo. Vamos falar sobre a teoria de multiversos, também muito amado pelos fãs de filmes e quadrinhos da Marvel, onde o multiverso permite que histórias intrincadas e emocionantes se desenrolem.

ESTUDOS E TEORIAS SOBRE MULTIVERSOS

  • Teoria da cosmologia inflacionária como uma demonstração da teoria dos muitos big bangs
    Autor: físico Stephen Feenrey
    A teoria: Hipotetizando com cálculos matemáticos o funcionamento de um pequeno Big Bang, ele mostrou que a explosão seria tão intensa que os pequenos quanta de que é feito o universo se estenderiam muito para tentar preencher o espaço disponível, dando origem a outras explosões, e em seguida, outras explosões. universos.
    Método de pesquisa: Já na década de 1950, Hugh Everett havia explicado essa teoria em seu livro “A Theory of Multiverses”. Hoje, cálculos matemáticos e análises podem ser fortalecidos por meio da observação graças a satélites. Por exemplo, uma equipe de físicos e cosmologistas em Londres está procurando pistas para a existência desses universos estudando as pequenas variações de temperatura registradas em mapas de radiação fóssil (ou seja, a luz que tem permeado constantemente o universo desde seu alvorecer. por sensores de microondas dos telescópios espaciais Wmap e Planck). Após 7 anos de observação, Stephen Feenrey, que liderou a equipe, identificou 4 traços de variação esférica de temperatura. Partindo da hipótese de que cada universo é semelhante a uma bolha, portanto de forma mais ou menos esférica, esses discos poderiam ser a pegada deixada por dois universos que colidiram.
  • O estudo holandês e o experimento com nêutrons
    Autor: Michael Sarrazin e a equipe da Universidade de Namur
    Teoria: Justamente no rápido desaparecimento dos nêutrons, segundo os pesquisadores, a passagem para outro universo poderia estar escondida: ou seja, os nêutrons não decairiam, mas passariam para outra dimensão. Graças ao fato de que os nêutrons andam muito mais devagar nesta “garrafa magnética”, será possível observar como eles se comportam quando decaem.
    Método: reproduzir o comportamento dos nêutrons, partículas do átomo (o universo, a matéria e, portanto, todos nós, somos feitos de átomos) depois de tê-los desacelerado por resfriamento e encerrado em uma pequena garrafa magnética. Quando se decompõem, como todas as partículas, ao observá-los lentamente você poderá observar o que acontece: se, por exemplo, desaparecem em outra dimensão.
  • Teoria das cordas
    Autores: Diversos
    Estude: O importar é feito de átomos, que por sua vez são feitos de nêutrons e prótons, partículas muito pequenas, que são compostas de partículas ainda menores chamadas quanta.
    Teoria: EU Muitos seriam feitos de cordas, que se comportam como cordas de violino e emitem oscilações de energia que dão vida a outras partículas diferentes, assim como cordas com notas diferentes. Eles, portanto, geram infinitos grande explosão de energia que por sua vez geram universos em séries infinitas.

COMO SERÃO FEITOS OS MULTIVERSOS?

Como esses mundos funcionariam? O cosmologista Marca máxima do rótulo Ele os descreve assim: todos esses universos seriam como bolhas contidas em um enorme universo maxi.

Todos seriam “provas” de universos adequados para gerar vida, e aquele em que vivemos seria aquele com as condições certas. Cada bolha também gera outras bolhas dentro dela, como se fossem as faces dos mesmos dados lançados sobre uma mesa. Mesmo que um saia, os outros seis, escondidos, existe de qualquer maneira.

Esses universos representariam realidades paralelas, duplicação de situações e pessoas que se comportam de todas as maneiras possíveis. Portanto, presume-se que o que vivemos é a melhor realidade entre muitas e o melhor universo entre tantos. Os outros universos e outras realidades seriam “esboços” que deram errado, mas que garantem a existência do nosso, o melhor.

Deixe um comentário