Como ler as avaliações no boletim escolar

Não consegue ler claramente os comentários no boletim? Uma questão de hábito: até janeiro de 2021 podíamos contar com as notas, que eram mais fáceis de interpretar para entender como tinha sido uma prova ou uma matéria ao final do semestre. Agora, para o ensino fundamental, as coisas mudaram – vamos ver como ler os julgamentos nos boletins que chegam.

Como funcionam as provações e o que são.

Em vez de pontos numéricos até 10, agora existem 4 tipos de julgamentos:

Avançado: continuamente, o aluno realiza as tarefas atribuídas de forma independente e sem a necessidade de ser estimulado com os recursos disponibilizados pelo professor, mas também de forma independente.

Intermediário: o aluno realiza as tarefas dos professores de forma autônoma, utilizando seus próprios recursos, de forma descontínua.

Base: o aluno realiza as tarefas atribuídas se estimulado, às vezes de forma autônoma, mas em qualquer caso de forma descontínua. Ele não alcançou autonomia estável no estudo.

Em processo de aquisição: o aluno realiza as tarefas apenas seguindo as instruções do professor e com os recursos disponíveis.

Por que os julgamentos substituem as notas no ensino fundamental?

O ministro da educação Lucia azzolina, em diversas entrevistas, explicou que os julgamentos garantem uma avaliação mais transparente e levam em consideração o progresso individual alcançado por cada aluno.

A “história” de votos e frases

Desde 1920 eu votosDas 6 às 10, a diretora, que é a diretora da escola, decidia por orientação dos professores. Então, a partir de 1977, chegaram as sentenças para o primário e secundário inferior: muito, muito, suficiente, insuficiente, (excelente, diferente, bom e justo além do secundário).

Em 2003 eu ensaios foram substituídos por letras (de A para dever de casa bem feito a D) e, desde 2009, as casas decimais que conhecemos foram reduzidas por MIUR.

O que você acha? As notas ou os julgamentos são melhores?

Deixe um comentário