Você sabia por que não existem mais animais tão grandes quanto os dinossauros?

Nos tempos pré-históricos, o mundo era muito rico em animais colossais: T-Rex, Brachiosaurus, bruatkaiosaurs: eles eram animais colossais agora extintos. Mas por que, em tempos históricos, não existem mais animais tão grandes quanto os dinossauros?

Digamos imediatamente que este não é o caso: a baleia azul (Balaenoptera musculus), o maior animal vivo do mundo pode medir 33,5 metros de comprimento e pesar até 190 toneladas: para igualar sua massa seriam necessários dois espécimes de Argentinosaurus, o maior dinossauro herbívoro descoberto até agora.

Dito isso, a era Mesozóica (225-65 milhões de anos atrás) foi dominada por animais que alcançaram tamanhos colossais. O braquiossauro, por exemplo, tinha 23 m de comprimento e 12 m de altura: as enormes pernas em forma de coluna, colocadas sob o corpo, permitiam suportar um peso de dezenas de toneladas.

Eles também existiam répteis marinhos gigantes, até 15 metros de comprimento.

As hipóteses dos cientistas pelas razões de suas “maxi” dimensões são diversas. Alguns pensam que muitos dinossauros foram animais de “sangue frio” que ficariam tão grandes porque eles viviam em um clima mais quente do que hoje, que acelerou seu metabolismo, ou seja, as transformações químicas que permitem a um ser vivo continuar vivendo.

Outros estudiosos, por outro lado, acreditam que algumas espécies eram de sangue quente e que o gigantismo foi devido à necessidade de combater o frio (quanto maior o corpo, menor é a área, proporcionalmente, exposta ao frio). Grandes dinossauros herbívoros também podem ter crescido em tamanho porque o tamanho grande era uma defesa eficaz contra predadores.

Perguntas e respostas sobre a abordagem da fonte

Deixe um comentário