Protegendo o meio ambiente: 10 coisas que você deve saber sobre reflorestamento

  • Reflorestamento: o que é?
  • Por que as árvores são tão importantes?
  • As 10 regras de ouro para reflorestamento

REPOPULAÇÃO FLORESTA

Se por anos se falou do perigo de desmatamento – que é a demolição de hectares e hectares de áreas arborizadas – felizmente nos últimos tempos muitas iniciativas de Repovoamento florestal, essa é a prática que em vez de cortar árvores … plante novas!

Infelizmente, no entanto, há muita terra para recuperar e, de acordo com as estatísticas, a cada ano o planeta perde uma área de floresta tropical do tamanho da Dinamarca (Fonte: BBC News). Portanto, para estimular e agilizar o processo, alguns especialistas publicaram na revista Biologia da mudança global uma lista com as 10 “regras de ouro” para otimizar o reflorestamento do nosso planeta.

POR QUE AS ÁRVORES SÃO TÃO IMPORTANTES?

Florestas e florestas são frequentemente chamadas de “pulmões” do planeta porque, graças ao processo de fotossíntese, as árvores converter dióxido de carbono em oxigênio, essencial para a vida na Terra. Mas não só: as árvores de fato com suas próprias Estado ajudam a consolidar o solo (reduzindo o risco de deslizamentos e deslizamentos de terra), abrigar muitas formas de vida (favorecendo a biodiversidade) e são nossos aliados contra o clima enlouquecedorà medida que resfriam o ar circundante através do processo de transpiração.

AS 10 REGRAS DE OURO PARA REFLORESTAMENTO

  • 1 – Primeiro, proteja as florestas existentes: Parece trivial, mas não é. Antes do reflorestamento, é melhor proteger as áreas florestais existentes, também porque as florestas antigas e intactas absorvem mais dióxido de carbono e são mais resistentes a incêndios, secas e desastres naturais.
  • 2 – Colocar a população local no centro dos projetos: Estudos mostram que quando um plano de reflorestamento envolve a população local, os resultados são melhores, pois a causa é mais sentida. Afinal, quem não gostaria de viver em um lugar mais agradável e mais verde?
  • 3 – Tentar maximizar a recuperação da biodiversidade: Plantar mais árvores não ajuda apenas as florestas, é bom para o clima. qualidade do ar e também para a economia local.
  • 4 – Escolha a área certa para reflorestamento: as árvores não devem ser plantadas aleatoriamente. Na verdade, é melhor engrossar uma floresta existente do que áreas historicamente livres de floresta. Afinal, se há milhões de anos não há muitas árvores nesses lugares, deve haver um motivo …
  • 5 – Se possível, deixe a floresta crescer sozinha: reflorestar é bom, mas ainda é um processo trabalhoso e demorado. Se as condições forem adequadas, é melhor deixar a floresta retomar seu espaço naturalmente.
  • 6 – Escolha espécies de árvores adequadas para maximizar a biodiversidade: É melhor evitar espécies arbóreas “estranhas” e invasoras, preferindo aquelas já existentes no território e, portanto, adequadas para favorecer e preservar aquele tipo particular de ecossistema.
  • 7 – Plantar árvores que se adaptem às mudanças climáticas: A mudança climática já é um fato, por isso é melhor escolher plantas de espécies adequadas ao local e que serão capazes de se adaptar às mudanças nas próximas décadas.
  • 8 – Plano: trabalhar com um programa delineado e colaborar com a população local é fundamental para o alcance de bons resultados.
  • 9 – Aprenda … Fazendo! Dar ao processo uma abordagem científica é essencial, mas durante a longa jornada do reflorestamento, a meta sempre pode ser ajustada combinando o “conhecimento” das populações locais com a base teórica. Portanto, começar plantando um pequeno número de árvores e observá-las crescer antes de passar para o trabalho em grande escala também pode ser uma ótima ideia.
  • 10 – Faça-o pagar: O reflorestamento é um bom negócio para todas as empresas da área em questão, por isso é bom envolver o máximo de atividades possíveis para apoiar a iniciativa.

ORIGENS: BBC; Biologia da mudança global

Deixe um comentário