Xamanismo Tupi-Guarani

Um dia – crê o povo Tupi-Guarani – Tupã, o Grande Espírito, despertará no coração dos seres humanos, e através de indivíduos alinhados com a verdadeira vontade da vida, conduzirá a humanidade por um caminho de generosidade e força, suavidade e aceitação. O mundo não será perfeito, posto que as coisas estão sempre se transformando, e a imperfeição é a sua linguagem. Mas por esse caminho, seremos conduzidos e conduziremos a existência a um lugar-de-ser onde natureza e cultura, tradição e modernidade, conviverão mais positivamente, e se buscará que todo progresso seja o mais proveitoso para a cadeia de seres vivos, nossos irmãos, que compõem o planeta.
Ainda choraremos nossos mortos, mas com menos senso de injustiça, porque compreenderemos que a morte é um intervalo na História do Grande Espírito. Ainda sofreremos a dor, mas ela será capaz de nos ensinar mais sobre quem somos. Ainda teremos grandes problemas, mas nossa forma de encará-los realmente será diversa, ampliada, mais profunda do que é hoje. E emergiremos, buscaremos emergir desses problemas com um senso novo de realidade.
O tempo de Tupã é este. Nosso papel, como portadores da fagulha vital, é abrir a porta para receber o Grande Espírito. Sejamos nós os primeiros a contar a boa nova: que o tempo de despertar para a Vida chegou, e seguiremos nele daqui para frente.
Sinta as batidas do seu coração, e diga se não é o próprio Grande Espírito falandoTu Pã, Tu Pã, Tu Pã…

Xamanismo Tupi-Guarani

Nos próximos dias 18 e 25 de Agosto nos encontraremos para uma introdução ao Xamanismo Tupi-Guarani, num percurso de reconhecimento dos saberes ancestrais indígenas à partir dos seus cânticos sagrados. Desde os primórdios, as primeiras manifestações mitológicas mais genuínas sempre foram passadas de geração a geração através da música. Isso porque em comunidades ágrafas (sem escrita histórica) o amparo em métricas, melodias e ritmos além de fortalecer-se na memória como marcadores, também marca o próprio modo como a vida expressa seus fluxos. A Odisseia e a Ilíada, poemas gregos máximos do povo grego, eram cantados por Homero. O Enuma Elish, épico Babilônico também foi composto para ser declamado, um extenso e comovente hino sobre as Origens. Tantos outros registros mitológicos de profunda beleza nos legaram os povos tradicionais de todo o mundo, e este conhecimento pouco a pouco sucumbe pela destruição sistemática de seus representantes.

No entanto, tem havido também um importante trabalho de resistência e, sobretudo, de existência, das comunidades originárias não só no Brasil como em todo o planeta. Gradativa e irreversivelmente, despertamos para essa realidade onde os saberes ancestrais não precisem estar em desvantagem em relação aos discursos e práticas modernos, mas pelo contrário, compondo assim, em união, um quadro de totalidade: o tradicional operando à partir de novas linguagens (como o digital, a troca de conhecimento remoto), e também o moderno empreendendo a difícil jornada ao encontro dos seus fundamentos, sem se deixar vencer pela fragmentação.  O Monomito se alinha a esse novo modo de compreender e experimentar a vida, e espera que isso se amplie cada vez mais, para formar uma grande teia de ações engajadas e oportunas, que defenda o planeta dos malefícios que a própria humanidade é capaz de realizar, no fim das contas, contra ela mesma.

1º Encontro
O Povos Originários – A Invenção do Índio
O Descobrimento das Américas – Visão dos povos nativos
Cosmovisão – A Essência e a Existência

2º Encontro
Cânticos Sagrados Tupi-Guarani – O Mito da Origem
Deuses da Criação – Componentes da Personalidade
Visão dos Símbolos Naturais
Encerramento: Um novo início, um novo ciclo

*

Aquelas (es) que desejarem participar dos encontros devem se orientar pelas informações abaixo

Online (via Hangouts) – Gravação disponível paa quem não puder assistir ao vivo ou queira rever

Dias 18 e 25 de Agosto

Investimento: 120 até dia 15 (após essa data, 160 reais)

Método de pagamento: Paypal, Depósito ou Transferência para

Banco do Brasil, AG 3652-8 CC 61708-3

Envie o comprovante de depósito ou suas dúvidas para jdlucas.contato@gmail.com

Mitologia é a canção do Universo. Até lá!

*

JD Lucas é mitólogo e escritor. Atualmente, ministra cursos de Introdução ao Mito e Mitologia Afro-Brasileira. É pesquisador membro da Joseph Campbell Foundation, e líder da RoundTable Mitológica Rio de Janeiro, célula do programa de círculos de discussão de Mitologia espalhados por todo o planeta.

Anúncios

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s