circulo de viena

A Confraria dos Desesperados

Quando Jung manifestou, cada vez mais seguro do que fazia, que a abordagem sexualista de Freud não era capaz de resolver todos os problemas e questões da mente humana, Freud reuniu uma maçonaria de desesperados para tentar refrear aquilo que julgou uma ameaça à doutrina psicanalítica (sic). Enquanto Jung se abria para o entendimento da Psique a partir de diversos pontos, inclusive à partir da teoria sexual, Freud e seus asseclas fechavam-se cada vez em intenções hegemônicas. Há literatura farta sobre Freud e Jung e suas querelas, e esse é um dos capítulos mais interessantes da história do pensamento e da cultura no século XX. Os detratores de Jung, até hoje, não sabem ou procuram não se atentar para o fato de que Freud para Jung nunca foi um mestre, e que portanto, Jung não estava traindo nada, nem descendo por pura intenção metafísica às trevas do ocultismo, mas que em seu caminho, perscrutar os recônditos da alma exige uma atitude o mais livre de preconceitos possível. As produções do espírito são enormes, abrangentes, profundas. Alguém que queira entender a alma não pode se furtar a fingir que elas terminam onde nosso bom senso diz que devem terminar.

Há muito mais estrelas na alma, caro Freud, do que sonha sua doutrina psicanalítica.

Para receber outras postagens do Monomito, vá até o fim da página, digite seu e-mail e clique em enviar.

Quem olha para dentro desperta.

Universo-quântico.0.30

Jung, Einstein e Pauli

Pequena exposição sobre as relações entre a Física quântica, a mecânica quântica e a Psicologia Analítica.

atlas

Mitologia grega e Temporalidade

Nesta aula, o professor Clóvis de Barros Filho fala sobre a temporalidade, nossa relação com a existência e o tempo.